Nós vamos morrer!



@wesleytalaveira É interessante como se deu jeito para quase tudo no mundo hoje, menos para o acontecimento que mais assusta o ser humano: a morte. Se pensou em diminuir os esforços humanos, se pensou em cura para doenças, se pensou em tecnologia a serviço do homem, mas nada se fez para evitar a morte. A morte é um acontecimento puro, natural do ser humano, sem a intervenção tecnológica. Talvez seja o único. Nem o início da vida escapou das invenções humanas. Hoje temos a fertilização in vitro e outras N possibilidades de uma mulher engravidar. Para nascer, temos a cesária. Para viver, temos milhares de milhares de inovações humanas para facilitar nossa vida. Muito se fez para evitar a morte. Mas morte não se evita. Não existe nada que se possa fazer para alguém ter um "jeito" de morrer diferente. Todos morrem do mesmo jeito. De repente a vida se esvai e pronto. Morreu.

A morte é a única certza que o ser humano pode carregar consigo. Todos sabemos que vamos morrer. E em decorrência da certeza da morte, surge outra agonia que a tecnologia não conseguiu resolver: quando vamos morrer. Não existe um computador que diz o dia da morte. Não tem nenhum aparelho que avisa quando a vida irá embora. Só se sabe que iremos morrer. Mas não se sabe quando.

São questões como essas que me prendem a atenção. Podemos programar o dia de nascer, mas não o dia de morrer. Podemos escolher quando, como e com quem casar, mas não sabemos quando deixaremos nosso conjuge viúvo. Não sabemos quando deixaremos nosso filho órfão. Só sabemos queele vai ficar órfão um dia.

E isso me leva a pensar numa coisa: estamos preparados para morrer? "Bah, mas que pergunta horrível, guri!" Vão me dizer. Mas percebo que todos os que morrem como heróis viveram preparados para morrer. Vi isso no Clodovil. Ele nunca teve medo de morrer. E morreu. E nós, será que estamso preparados para morrer? Sim, isso mesmo, viver pensando na morte. Isso não é pessimismo. Pelo menos, creio que não. Creio que seja uma forma de pensar melhor no que fazemos. Se errarmos, teremos tempo de corrigir os erros? Se deixar de fazer algo que gosto, será que poderei fazer depois?

São questões assim que me levam a pensar melhor na morte. Que legado deixarei? O que irão falar de mim em volta do meu caixão no meu velório? Como se lembrarão de mim? "Bah! Mas tu tem só 23 anos". E daí? Se deve pensar na morte com que idade? 60? 70?

Não sei, mas penso que o segredo da longevidade é viver pensando no fim da vida, sabendo que não posso deixar nada pra amanhã. Viver cada dia como se fosse o único. Isso que me leva a não realizar planos. Se eu planejo algo para daqui a 10 anos, corro o risco de não cumprir minha "meta pessoal". Corro o risco de ir embora antes e não ter feito nada diferente, pois estava trabalhando em cima da "minha meta". Pra que planejar, se não sei o que vai me acontecer no futuro? porque não viver um dia de cada vez? O Senhor Jesus disse que "basta a cada dia o seu mal".

O último pronunciamento do Clodovil para a imprensa foi bastante interessante: "posso cair morto ali na frente. pra mim não interessa a vida, mas sim o que faço nela, se sou lembrado pela minha credibilidade e honestidade", algo assim. E não foi assim mesmo? Um homem que trabalhou tanto, ganhou tanto dinheiro, perdeu tanto dinheiro, se elegeu deputado, ganhou tantos fãs, sem mais nem menos é encontrado desmaiado no quarto com um coágulo enorme no cérebro, e tres dias depois tem seu caixão sendo descido a tumba, no Cemitério Morumbi. Adiantou o dinheiro, os fãs, o mandato? Não, apenas sua lembrança. Polêmica, mas vai ser lembrado por muito tempo.

Lembro-me de ter me deparado com uma situaçã oassim em 2005. Meu patrão era o tipo elétrico. Administrava cinco lojas sozinho, cuidava de uma igreja evangélica, cuidava da casa e ainda tinah tempo de pentear seus cinco gatos todos os dias de manhã. Trabalhou muito, cresceu na vida, tinha planos pessoais e empresariais e numa bela madrugada morre no corredor do quarto de casa. Ou seja, na terça feira vi "seu" Sidney trabalhando na loja, resolvendo problemas, comprando, xingando fornecedor. Na quarta vi seu caixão ser colocado um buraco e jogarem terra por cima.

Essa imagem do caixão sendo descido, por mais sinistra que pareça, me chama atenção. Isso simboloza pra mim o fim de uma vida. E de que vida? Essa cena encerra o que? Quais eram as atitudes que foram encerradas ali? Será que ali se encerra uma vida digna, cheia de boas memórias, ou se encerra uma vida que, como se diz no jargão popular, "já vai tarde"?

Por favor, não digam que estou tendo pensamentos de filme de terror, nem me chamem de pessimista. Sou otimista, mas acho que seria bom se todos nós pensássemos nessa hora. No fim.

Talvez seja porque já é madruga, to caindo de sono e insisto em ficar na frente do PC.

SIGA O BLOG NOVAS IDEIAS