Nossa Retrospectiva 2009


Sim, 2009 encerra-se como um ano difícil, que foi superado. Passamos por crise e a vencemos, o Brasil se abalou, mas continuou firme e forte. E 2009 também foi um ano bastante promissor para o Blog Novas Ideias. Vimos nosso blog crescer muito. Participações importantes, postagens que deram o que falar no Twitter, entrevistas, novos colaboradores, enfim, muita coisa boa aconteceu nesse ano. Se 2009 foi um ano difícil para o blogueiro (quem me conhece pessoalmente, sabe), para o blog foi um ano bastante enriquecedor.

Vamos relembrar algumas postagens do Novas Ideias em 2009 que geraram repercussão:
    • Em fevereiro, o Brasil viu o vergonhoso escândalo do deputado Edmar, o do castelo, que foi absolvido e caiu no esquecimento depois de usar as estratégias comuns a todos os outros: renunciou cargos, alegou inocência e pronto! O Novas Ideias criticou, cobrou e sua reclamação foi repercutida por várias pessoas.
    • Ainda em fevereiro, o Blog Novas Ideias participou de um post do blog do Zeca Camargo, onde foi discutido a transmissão do Carnaval 2009 e do Oscar 2009, que aconteceriam no mesmo dia e horário. Zeca questionava o fato de o Oscar deixar de ser exibido em função do carnaval.
    • Em março, o Blog Novas Ideias analisou, com exclusividade, a construção do Expresso Tiradentes pela prefeitura de SP, na região central, saindo do Parque Dom Pedro II e indo ao Sacomã, e chegamos a conclusões importantes.
    • Um post feito aqui no mês de abril causou uma saudável discussão: a análise que fizemos sobre a amizade entre adolescentes, com base no tumulto iniciado por um maluco apaixonado que resultou na morte da garota Eloá. Vimos aqui que a amizade dos adolescentes pode ser mais forte que na fase adulta.
    • Em junho desse ano, o Blog Novas ideias conversou com a atriz Larissa Vereza, que atuou em novelas da Rede Record e Rede Globo. Um bate-papo interessante sobre a situação do cinema no mundo, influência dos filmes e etc. A entrevista fez parte de um trabalho acadêmico do blogueiro.
    • Em junho, este blogueiro viu um grande projeto acadêmico receber um grande reconhecimento: o projeto Boca do Lixo, que propunha a instalação de postos de coleta seletiva em escolas públicas de SP virou projeto de Lei na Câmara dos Vereadores de São Paulo, proposto pelo vereador Alfredinho (PT).
    • Ainda em junho, o mundo se despediu de um dos maiores ícones da música pop da história: Michael Jacson faleceu no quarto de sua casa. O blog Novas Ideias fez uma homenagem ao cantor.
    • Em julho, durante o auge da Gripe Influenza A, o Blog Novas Ideias fez seu primeiro post coletivo, com participação de várias pessoas via Twitter, coordenado pela
      twitteira e blogueira Twittess. Depois de debater a situação da gripe no Brasil, o ocultamento de informações pela imprensa oficial, onde vários internautas trouxeram informações importantes, coube ao Blog Novas Ideias coletar todas as informações e reuní-las em um post, onde também analisamos a entrevista que o Ministro da Saúde José Gomes temporão deu ao programa do Jô naquele mesmo dia. A própria Twittess cuidou da divulgação do post em seu perfil, que acabou por se tornar o post mais lido do Novas Ideias desde a criação do blog, dada a popularidade da Twittess.
    • Em agosto, durante a divulgação de novas denúncias envolvendo a Igreja Universal, Rede Record e bispo Edir Macedo, o blog Novas Ideias se pronunciou condenando a atitude da Igreja, que usou sua emissora para desferir ataques contra a Rede Globo, numa guerra que vem se arrastando a algum tempo. Enviamos um email ao programa "Fala Que Eu te Escuto", programa da Igreja Universal que no dia
    • discutia o que chamou de "ataques invejosos" da Globo. Esse foi um post bastante
      divulgado no Twitter.
    • Nesse ano, este blogueiro participou de um teste do Windows 7 feito pela Revista Veja, muito antes da venda do SO aqui no Brasil. Quatro leitores da Revista foram selecionados par aconhecer as novas ferramentas do Windows 7.
    • Em outubro, o Brasil viu uma cena ridícula que ganhou repercussão em toda a mídia; uma aluna da Uniban vai à faculdade com um microvestido rosa e é ridicularizada pelos colegas, por deixar à mostra sua calcinha. O blog Novas Ideias condenou a falta de bom senso, tanto da aluna que devia ter a noção do tipo de roupa que deve usar na Universidade, como dos universitários, que criaram um tumulto incontrolável simplesmente por uma calcinha.
    • Nossa primeira postagem especial comentou as diferenças gritantes de uma das ruas mais famosas de São Paulo: a Rua Augusta, marcada ao mesmo tempo pelo alto luxo e pela prostituição,
    • O Blog Novas Ideias foi um dos únicos a criticar a total falta de ética do humorista Danilo Gentili, que, depois de ver seu amigo Rogério Morgado eliminado do concurso que elegeu o 8° CQC, ofendeu os telespectadores com palavrões via Twitter.
    • Em novembro tivemos a estreia de nossa primeira colaboradora, a Anali, que com seu jeito meigo, mas determinado, comentou aqui o lançamento do Novo Orkut.
    • Também em novembro o blog Novas Ideias lançou sua primeira WebSérie, intitulada Tiffany, que conta a história de uma adolescente que teve de aprender cedo lições que carregaria para a vida toda. Por motivos de força maior, a WebSérie teve de ser interrompida, mas voltará em 2010.
    • Ainda em novembro estreou como colaborador do Novas Ideias o Orfeu, que trouxe suas brilhantes palavras e pensamentos ao blog.
    • O blog Novas ideias fez duas entrevistas interessantíssimas em novembro: o paratleta André Luiz, que representou o Brasil em diversas competições pelo mundo e conquistou diversas medalhas, inclusive Ouro, e a banda curitibana CW7, que contou os desafios de quem começa a carreira musical.
    • Em dezembro, mais um colaborador chega ao blog: o publicitário Alvim Dias, administrador do blog Pimentas no Reino, que enriqueceu o Novas Ideias em conteúdo;
    • No último mês de 2009, o blog Novas ideias fecha o ano com uma entrevista importante: a apresentadora da Rede TV e ex-BBB9 Ana Carolina Madeira, que falou sobre a carreira como apresentadora, sobre sua paixão por animais e a experiência do confinamento.

Em 2009 tivemos um total de mais de 300 postagens com os mais diferentes assuntos. Para quem trabalhou sozinho até o mês de outubro, acho que está de bom tamanho. Tudo foi feito com a intenção de trazer um pouco de luz e reflexão sobre temas importantes do nosos cotidiano, sempre com opiniões alternativas .

Esperamos manter essa visão em 2010: pretendemos continuar a ser um blog questionador, que busca a informação e a transmite de forma clara, sem nada "por baixo do tapete". Queremos continuar a pensar diferente da maioria, pois "quem disse que só tem um jeito?"

Banda Apogeu no Novas Ideias

Aguarde!!!


Eu sobrevivi ao Natal!

Postado por Anali

Não que eu não goste de Natal, nada disso, mas às vezes fico pensando: Pra que ele serve?

Pergunta facil de se responder : PRESENTES! Isso deveria me lembrar de outra coisa mais eu realmente esqueçi . . .

O Natal deveria ser uma data esclusiva para comemorarmos o nascimento de Jesus, único e exclusivamente dele, mas serve para nós próprios ganharmos presentes. Engraçado isso? Na verdade não!

Lógico que eu tive meu Natal, (obrigada, pai por passar a noite na casa do meu tio em um churrasco, sendo que nem carne eu como). MAS o que eu fiz no meu Natal? Devorei 1 kilo de nozes e mais 3 potes de sorvetes que eu mesma fiz questão que comprassem para mim, pois se não o tédio seria maior! E quer saber no exato momento de 00:00 sabe o que eu estava fazendo ? Eu simplesmente estava sentada conversando com um amigo, coisa muito mais importante que uma festa de Natal! Todos exaustos, pois comeram tanto que que o pecado da Gula nessa momento esteve mais presente que nunca! rs

Sabe aquela simbologia que a TV sempre mostrou do Natal (o que pra mim é pura alienação), que o Natal é a hora feliz em que as famílias se reunem para trocar presentes, todos felizes? Pois é, o problema é que todos esquecem da verdadeira comemoração! É isso mesmo NATAL não é o NATAL! Pelo menos o legítimo.

Bem pra vocês não acharem que apenas eu penso assim, quando cheguei em casa entrei no meu Twitter (@Analiiy) e la perguntei quem teve um bom natal. Sabe a resposta? Muitos passaram o Natal twitando, vai sabe porquê. E quer saber mais? Não ligaram nem um pouco pra tudo isso. Perguntei então quem também não gostava do Natal e me surpreendi com vários reply de seguidores me dizendo que Natal não serve pra nada!

É bem com esse texto que me pergunto pra que mesmo serve o "tal" Natal ?




Anali tem 17 anos, é estudante e colaboradora do Novas Ideias

Um programa diferente

Quem mora em São Paulo ou nas cidades onde a TV Cultura é transmitida já deve ter visto o novo programa, ou melhor, o Programa Novo, que vai ao ar de segunda à sexta, às 18:30.

Na minha opiniao, essa foi uma das maiores sacadas da TV Cultura de 2009. Misturando um ambiente jovem e moderno com descontração e muita boa música, o Programa Novo tem potencial para deixar muita gente da MTV de queixo caído.

Apresentadores: Gabi França, Rodolfo Rodrigues, Roberta Youseff e Zé Brites



Muito diferente dos programas jovens que tentam ser agradáveis e acabam por ter um ambiente bobo e fingido, o Programa Novo é leve e natural. Sob o comando de Zé Brites, Gabi França (ela é linda, meu Deus!), Rodolfo Rodrigues e Roberta Youseff, o programa interage com o público, além de estar totalmente ligado com as mídias sociais, como Twitter e Youtube.

O Programa Novo pode ser, ainda, uma porta de entrada para que o telespectador veja que a TV Cultura é muito mais do que os desenhos e o Castelo Rá Tim Bum. Recentemente o programa conversou com o vencedor da 6° eliminatória do programa Prelúdio, concurso que elege os melhores instrumentistas de música clássica entre 200 inscritos. Uma ótima maneira de inserir a música clássica no cotidiano da galera. Além disso, o programa já recebeu grandes nomes como Luiza Possi, Tihuana, Ramirez, Biquini Cavadão e outros grandes nomes, o que confirma a credibilidade que o programa tem.


A TV Cultura já é referencial e grande aliada dos pais na educação infantil, com produtos reconhecidamente bons. Acontece os que assistiram "Rupert", "Os Camundongos Aventureiros" e "Castelo Ra Tim Bum" já cresceram. E a Cultura tenta manter consigo esse novo público adolescente, que cresceu assistindo o canal. Já deu mostras disso com "Tudo Que é Sólido Pode Derreter", "Confissões de Adolescente" e o seriado americano "Ninguém Merece!". Reforça agora com o Programa Novo.

Com certeza, o Programa Novo é uma ótima alternativa inteligente na TV aberta no Brasil.



Só pra reforçar: a Gabi França é linda! rs

Brasil: que país é esse?

Faltam poucos dias para terminar o ano. Muita gente começa a fazer balanço da própria vida em 2009, e planeja correções para 2010. Mas essa é uma ótima época para repensar um pouquinho o país em que vivemos, por isso o Novas Ideias perguntou a algumas pessoas: "Brasil: que país é esse?"

5 pessoas de diferentes locais do Brasil e diferentes profissões deram sua opinião a respeito do nosso país. Veja:




"É o pais da desnutriçao da prostituiçao da corrupçao do abandono e do descaso, onde o mais forte escraviza o mais fraco"
Diego Thiago, Técnico de informática.




É o país onde se pode fazer e responder essa pergunta sem ser torturado e morto"
Silvana Ferrari, empresária.






"Um país rico, com potencial e que tem tudo para crescer... Só precisa da disposição das pessoas certas para isso".

Karla Mirelle, estudante de Direito





Um País que, para poder utilizar todo seu potencial precisa investir muito em educação".
Andrea Matarazzo, engenheiro e ex-secretário de subprefeituras de SP






"O país mais maravilhoso que existe. Já conheci muitos, incluindo a Suiça e nenhum chega perto!"

Alberto Lozéa, físico e administrador do blog Sexy Help Desk

Quem inventou o Natal?



Não quero aqui gastar tempo explicando de onde vieram as comemorações natalinas, se Jesus nasceu ou não no dia 25 de dezembro, de onde vieram as árvores e Natal, se foi ou não a Coca Cola quem inventou o Papai Noel, e etc. Isso está muito fácil e ao alcance de qualquer um que conheça o Google e o Wikipedia.

O que quero pensar aqui é o seguinte: comemoramos, no Natal, o nascimento de Jesus. Será que muitos param para pensar ao menos um pouco na importância dessa data? Temos a tendência de banalizar fatos importantíssimos, principalmente em nosso Brasil de bispos à torto e à direito pregando asneiras todos os dias em nossa TV. Comemoramos o fato de Jesus ter vindo à Terra, mas muitas vezes os presentes e o Amigo Secreto tomam o lugar do aniversariante. Preferimos os Shoppings e a 25 de Março ao motivo real que nos leva a comemorar.

No Natal lembramos que Jesus esteve aqui. Pisou o mesmo chão que nós pisamos, esteve na mesma dimensão chamada Planeta Terra em que vivemos. Como protestante creio firmemente que Jesus sempre existou como Deus, e que não deixou de ser Deus enquanto esteve aqui("No princípio era aquele que era a Palavra. Ele estava com Deus e era Deus" Evangelho de João, 1:1). Mas para que Jesus veio aqui? Simplesmente para criar uma nova religião, com um nome bonitinho de Cristianismo?

Não, Jesus veio fazer muito mais que isso. Na verdade, Jesus nunca quis criar uma religião. Jesus veio aqui para mostrar o amor de Deus, que tem uma dimensão muito maior do que o pregado nas missas ou nos cultos evangélicos. Jesus veio para nos dar uma dimensão de quem é Deus e do quanto Ele ama. Quer conhecer Deus? Aprenda de Jesus.

Jesus nasceu como judeu, cumpriu o rito da circuncisão, principal mandamento judaico, cresceu sob os ensinos judaicos, dentre eles o Sagrado Sábado, tornou-se rabino quando adulto e, como todo rabino judeu, teve seus próprios alunos, ou discípulos. Isso era o "jugo": submeter a si alunos que o acompanhassem em todo o tempo. Mas qual a diferença de Jesus entre os outros rabinos da época? Foi Jesus quem escolheu seus alunos, e escolheu exatamente pessoas que não tinham qualquer vocação para o discipulado: pescadores, cobradores de impostos, e etc. Jesus tomou como seus alunos homens sem muita instrução, de origem simples e sem muitas posses. Fez desses homens seus principais companheiros diurante seus 3 anos de Ministério. Esses homens se tornaram, posteriormente, a base do que se conhece hoje como Cristianismo. De homens simples e iletrados, Jesus fez pilares da fé Cristã.



Creio que nessa escolha de seus discípulos Jesus mostrou exatamente o que veio fazer aqui: mostrar que para Deus não há diferenças. Deus não está preocupado com a condição financeira, muito menos a cor, o sexo, idade. Jesus veio ao mundo para mostrar que Deus quer ser muito mais que um velhinho de barbas brancas com um longo vestido branco e um cajado que está num trono dando ordens para o mundo. Pelo contrário, Deus é o que menos influencia esse mundo. Jesus veio para mostrar que o propósito de Deus não era alcançar o Sistema, ou tornar-se um grande líder mundial; era alcançar pessoas. Foi isso que Deus quis mostrar ao enviar Jesus.

Deus não está interessado em restaurar a economia mundial, nem em colocar um evangélico na presidência da República. Ele quer simplesmente que, quando nós o "buscarmos de todo o coração", que nós O possamos encontrar, independente de quem somos ou da condição de vida que levamos. Ele quer nos ouvir o chamando de "pai". Talvez por isso Jesus era chamado de Filho, e se referia a Deus como Pai. Aliás, a versão grega diz que Jesus se referia a Deus como "Paizinho" (Abba, em grego). Isso para nos mostrar que Deus está totalmente longe da concepção religiosa de um velho mal humorado que precisa ser agradado com bondades para que possa olhar por alguém. Ele é o "paizinho". Ele gosta quando nos referimos a Ele como "papai, paizinho". Deus é muito mais afável do que pregam os púlpitos.



Por isso, pergunto novamente: quem inventou o Natal? Na verdade, quem inventou o real Natal foi um Deus que amava tanto esse mundo que resolveu descer aqui em forma de homem, em matéria humana, para se fazer entender. Amava tanto que resolveu vir aqui para mostrar que a Divindade era muito diferente daquilo que se imaginava, ou do que pregavam os fariseus da época. Deus inventou o Natal para dizer: "eu amo tanto o mundo que dei meu filho Unigênito, para que todo o que nEle crer tenha vida eterna"(Evangelho de João 3:16).

Com base em tudo isso que creio, desejo a todos os leitores do Novas Ideias um Natal recheado de paz, alegria e companheirismo, e que acima de tudo, nosso coração esteja aberto para ver que o aniversariante quer participar da festa.

Abraço a todos!




Fã de emissoras de TV: um novo tipo de fanatismo



Provavelmente, muitos de vocês que estão lendo agora estão também com a TV ligada. Isso é normal, quase a totalidade dos brasileiros hoje tem acesso à televisão, e todas as emissoras cobrem quase todo o país, seja com estúdio próprio ou com afiliadas, por isso em quase todas as casas sempre haverá uma emissora sendo transmitida. Isso é o que se chama liberdade: eu vejo o que quero, se não gostar do que for transmitido, mudo de canal ou desligo a TV. E sabemos que a liberdade por vezes proporciona situações no mínimo curiosas, já que todos podem falar o que querem e devem estar abertos a receber qualquer tipo de crítica. É mesmo?

O blog Poltrona, especializado sobre TV fez, em novembro, um post onde comentou aquela invasão de um link da Globo por uma jornalista da Record, tudo ordenado pelo "sem-sal-nem-açúcar" Celso Zucatelli. Lembram disso? No post ele comenta ainda a perda total de identidade do programa Hoje em Dia, que começou com um formato perfeito que consagrou o programa, e que vem se perdendo para subcelebridades, passarelas e assuntos vazios. Quiser ver o post, tá aqui.

Acontece que essa postagem recebeu diversas críticas de pessoas que supostamente defendiam a Record. Até aí tudo bem, todos temos o direito de nos manifestar sobre qualquer assunto,OK? Mas, ao moderar os comentários, ele percebeu algo estranho: quase todos os comentários vinham de um mesmo endereço IP (o Wordpress dá suporte para identificar o IP), o que causou certa suspeita. Ao consultar o IP que surgia repetidamente, viu se tratar de um endereço registrado em nome da TV Record de São Paulo. Todos os comentários criticando o post e defendendo a Record vieram de dentro da emissora do bispo Macedo. Além disso, os emails usados nos comentários eram inválidos! Sim, inválidos!





Resolvi pesquisar. Ao consultar, no site do Ministério da Fazenda, o CNPJ que aparece no relatório do Registro.br, constatei que é sim, o CNPJ da Record (Rádio e Televisão Record SA), e o nome que aparece como responsável pelo IP (Anderson Gonçalves de Moura) é o gerente de TI da emissora, e provavelmente responsável pelo TI do portal R7, site da Record.

Entrei em contato com Alê Rocha, o administrador do blog Poltrona, e ele me disse ter ficado surpreso em perceber que os comentários vinham de dentro da Record: "é muito comum encontrar telespectadores que torcem por uma ou outra emissora. No entanto, fiquei surpreso ao ver que o IP era da Record", diz Alê.



Não, com certeza não se trata de uma ação orquestrada pela emissora. Isso está com muita cara de algum funcionário apaixonado pelo serviço que não tolera críticas e se sentiu na liberdade de usar o IP da empresa para criar email falsos e sair rebatendo todas as críticas que ver pela frente. Alê Rocha não discorda do fato de funcionários opinarem sobre sua emissora, mas critica o anonimato: "acho que um funcionário da Record tem o direito de se manifestar a favor da programação da emissora. Não há nada de errado nisso. O que me incomodou foi a forma. Tudo foi feita de forma anônima".

Acredito que todos podemos ser fãs de qualquer coisa, mas o fanatismo muitas vezes pode nos levar a situações desagradáveis. Devemos nos lembrar que todos, e quando digo todos é TODOS mesmo, estamos sujeitos a críticas. Até mesmo o objeto de nosso fanatismo, seja um cantor, uma banda, uma religião ou uma emissora de TV.

Apesar de não gostar nem um pouquinho da Record por motivos que prefiro não declarar aqui, não tenho preferência por nenhuma emissora. Tanto porque, venhamos e convenhamos, a TV aberta no Brasil sofre com uma crise de conteúdo inacreditável. Em tempos de Zorra Total, Luciana Gimenez e Geraldo Luiz, a TV aberta tem se tornado o último destino de quem busca entretenimento inteligente. Mas apesar dos pesares, ainda temos que dizer que a Globo tem um padrão de qualidade invejável por muita gente no mundo. Temos de reconhecer também que a Record vem se instalando e investindo em qualidade, além de o SBT também não estar brincando em serviço; até a Rede TV decidiu brigar por uma fatiazinha maior de audiência. Ou seja, todos estão se mexendo e tem espaço para todos. Assim é a lei da concorrência, assim é o capitalismo: que se estabeleça o melhor.

Mas, como disse lá no comecinho, a liberdade muitas vezes gera situações curiosas. Como todos podem falar o que quer na hora que querem, muitos acabam fazendo besteira. Mas tudo bem, isso é melhor ainda do que a censura, né?

E vamos em frente!

Teu Photoshop te condena

O Photoshop já nos proporcionou imagens no mínimo curiosas, principalmente quando o assunto é encobrir imperfeições físicas de personalidades ou modelos. Tanto que a França discute uma lei que obriga revistas que usarem photoshop a indicar na capa o uso do programa, uma espécie de "contém glúten" da moda.

O site BuzzFeed elegeu os maiores micos da moda de 2009, com fotos que foram alteradas pelo bom e elho programa da Adobe e que viraram algo que vai do hilário ao assombroso. Veja:




Já ouviu a história da modelo que não tinha cu? Olha:






Louvado seja o Photoshop, hein Madonna?






Algo assombroso






E dizem que a mão do Lula que é engraçada...



Essa é clássica: vão-se as cabeças, ficam as mãos


Taradinho!

"O ser humano é meio Vouyer". Entrevista com Ana Carolina Madeira

Ana Carolina Madeira



"Mulher sob capa de menina". Assim Pedro Bial definiu Ana Carolina Madeira, 25 anos, em sua eliminação na seminifinal do BBB 9, Reallity Show da Rede Globo, depois de enfrentar 6 paredões e vencer todos, graças a um carinho espetacular que ganhou de seu público durante os 82 dias em que esteva casa mais vigiada do Brasil.

Atualmente, além de contratada da Rede TV e participante de vários programas da emissora, entre eles o Manhã Maior, Ana mantém seu site pessoal, o Portal da Ana. Por telefone, ela concedeu essa interessantíssima entrevista ao blog. "Eu prefiro entrevista falada, por email sou monossilábica", disse logo no início.

E realmente! Com uma naturalidade surpreendente, difícil de ver em pessoas que ganham fama na TV, Ana Carolina falou sobre um pouco de tudo: carreira, BBB, paixão pelos animais e outros assuntos. Confira:




Você atualmente trabalha na Rede TV, participou de um reality show e é apaixonada por animais. Em todo esse universo, seu curso de Direito está, aparentemente, fora de tudo isso. Por que a escolha por direito? Na verdade, o Direito entrou na minha vida por acaso, e saiu por acaso, também. Eu havia sido aprovada no vestibular de veterinária, mas a faculdade ficaria muito longe da minha casa, e por isso estava procurando algum curso superior em faculdades particulares. Como na época (2004) os bingos eram um assunto recente e, meu pai era dono de um (hoje não é mais), pesquisei sobre o curso de Direito e resolvi fazer.

E pretende seguir ainda a carreira? Não, porque a profissão de advogado é uma área muito difícil de exercer, principalmente para mim, pois exige uma certa frieza a que eu não estou acostumada. Por exemplo, durante a graduação pegamos um caso de uma denúncia grave de uma criança que havia sido abusada pelo pai, e eu achava aquilo tudo muito forte, mas nao podia me envolver, então achei melhor poder me envolver de uma outra forma, longe da área de Direito.

Na sua monografia, você tratou sobre animais... Sim, consegui unir minha formação ao meu amor pelos animais. Meu tema de monografia foi "Direito de Experimentação Animal e o Direito de Objeção Consciente", e ganhei nota máxima.

E falando em animais, quando surgiu esse amor? Desde a infância? A primeira palavra que falei quando criança foi "au au". Minha mãe tem raiva até hoje disso. (risos)

Puxa, você gosta muito de animais, então. Sim, gosto muito. Muito mesmo.

Ana, na campanha "Adotar é Tudo de Bom"




Parece que os animais têm pouco espaço na TV aberta; não há muitos programas específicos. Acha que eles precisavam de mais espaço? Sim, acho que eles precisam de mais espaço, mas parece que, aos poucos, eles estão ganhando mais atenção dos programas de TV, é só ver os quadros de adestramento do Faustão, o SBT Animal, o Dr Pet, na Record. Espero que minha emissora logo tenha algo assim também...

Algo como... um programa seu? Sim, entreguei um projeto particular à emissora e está em análise, espero que dê certo. É algo de que gosto de falar, e sei que irei me dar bem falando de animais na TV.

Acha que a legislação brasileira protege eficazmente os animais? A nossa legislação é falha. As leis não são eficientes e visam muito pouco o bem estar do animal. Eu particularmente sou totalmente contra a experimentação animal. Matam os bichinhos sem critério nenhum, sem ao menos se preocupar com o sofrimento dos animais.

Acho que falta um pouco de consciência da sociedade, também... Sem dúvida. O termo "animal" hoje em dia ainda é usado em certas situações com sentido pejorativo, e isso precisa mudar.

Ana, durante o BBB 9



Falando um pouquinho sobre o BBB que você participou, o que você considera mais difícil na convivência em confinamento? Primeiro a saudade da família, viver longe de quem se ama, sem qualquer contato. Isso é o mais difícil. Além disso, ter de administrar as personalidades diferentes que vivem contigo na mesma casa é uma tarefa bastante complicada. Lá na casa eu fui uma das mais rejeitadas, e isso foi bastante complicado, era só ver quantas vezes tentaram me tirar de lá. Eu fui a recordista brasileira de paredões vencidos. E acho que mundial, também.

Foi a mais rejeitada lá dentro, mas muito amada aqui fora... Por várias vezes tentaram me tirar da casa, e sempre as pessoas se mobilizavam para me mantar lá dentro. Isso foi bom.

Falando nisso, você foi uma das mais queridas dessa edição... Sim, e isso foi bom, me deixaram ficar lá pelo maior tempo possível.

Como é receber tanto carinho? Ah, é muito bom, mas eu continuo sendo a mesma pessoa de antes. Não deixei de frequentar nenhum dos lugares que frequentava antes, como supermercado, locadora, continuo com minha rotina. A diferença é que agora sou conhecida, as pessoas pedem para tirar foto, mas continuo a mesma pessoa.

Em sua opinião, qual a grande sacada de realities shows como o BBB? Acho que o ser humano é meio "voyeur", gosta de observar a vida dos outros, gosta de participar da vida alheia. Por isso reallities dão tanto sucesso.



Além do prêmio, o que você acha que leva uma pessoa a expor sua vida por completo num reality show? No meu caso, foi exclusivamente o prêmio. O tempo todo em que estive lá pensava apenas em ganhar o prêmio e era eu mesma, para que o público gostasse de mim e me deixasse ficar.

Participaria de um reality show como o BBB novamente? Sim, dependendo do prêmio, contrato oferecido, participaria sim.

Gostaria de deixar alguma mensagem aos leitores do Blog Novas Ideias? Ah, quero agradecer pela entrevista, pedir que todos continuem acompanhando o blog, e agradecer pelo carinho de todos vocês, isso é maravilhoso pra mim. Um beijo a todos.



***

Veja outras entrevistas do blog Novas Ideias:





André Luiz: atleta paraolímpico
Fale um pouco sobre o acidente que lhe causou a deficiência física. O acidente foi na Cidade de Americana em 1997. Estava competindo em um torneio da Federação Paulista de Atletismo, onde estva tentando indice para o Campeonato Mundial. Durante o salto percebi que tinha me desequilibrado e (...)





Banda CW7:
A internet com certeza é uma grande aliada para o início da carreira, pois é um meio que, com um custo baixo, você consegue levar sua música para todos os lugares! Nós utilizamos muito a internet (...)





Larissa Vereza - Rede Globo:
No cinema vemos histórias que, independente da época em que vivemos, são iguais as minhas, as suas, as de nossos vizinhos. O vagabundo que ama, o menino abandonado, o trabalhador explorado. (...)





Novas Ideias: quem disse que só tem um jeito?

Tá confirmado: Serra é candidato em 2010

Aécio Neves (PSDB), governador de Minas Gerais



Há muito tempo se sabia que Serra seria o candidato do PSDB para as eleições presidenciais de 2010, já que é o preferido em todas as pesquisas já feitas. Mas essa confirmação ainda não havia sido feita devido a intenção de Aécio Neves, governador de Minas Gerais e neto de Tancredo Neves ter lançado sua pré-candidatura, obrigado assim seu partido a lançar prévias entre os filiados.

Hoje, porém, Aécio decidiu desistir de sua candidatura, depois de perceber que seria difícil emplacar com Serra no páreo. Num discurso até interessante, Aécio comunicou sua intenção ao lado do presidente do PSDB senador Sérgio Guerra (PE).





Na minha opinião, Aécio tinha condições de governar o país, dada sua facilidade de articulação e de conseguir apoio. Porém, o nome dele não é tão forte no cenário nacional, e o partido não teria tempo de fazê-lo conhecido em menos de um ano. Isso atrapalharia a intenção dos tucanos de voltar ao poder depois de 8 anos. Para mim, Aécio representa mais abertura (Serra é conhecido por seu jeito tradicional e fechado de negociar), além de ser um nome diferente, mas experiente em política.



Bem, como não vou votar nem em PSDB muito menos me PT, para mim o resultado não fez muita diferença. Mas no cenário político, a decisão de Aécio marca coisas interessantes: uma briga entre Aécio e Serra podeira dividir o partido, famoso por se dividir facilmente. Aécio ainda é jovem, tem uma longa carreira política pela frente, principalmente por ter boa popularidade entre os mineiros.

Dá mais um cadim de tempo pra ele, uai!

O "choque cultural" de Justus



@wesleytalaveira - Roberto Justus é CEO do Grupo Newcomm e vice-presidente da Y&R. Em 27 anos à frente de agências que já produziram campanhas memoráveis, revelou inúmeros talentos criativos e entrou para a história da publicidade brasileira.

Justus iniciou sua carreira na área de comunicação em 1981, como sócio da Fischer, Justus Comunicação. Depois de 18 anos, deixou a sociedade para fundar sua própria agência, a Newcomm Comunicação Integrada. Já escreveu dois livros "Coinstruindo uma Vida" e "O Empreendedor", onde conta histórias desau vida e dá lições de empreendedorismo. Em 2009, Justus assinou contrato de 4 anos com o SBT de Sílvio Santos para programas de auditório, o que marcou a chamda "nova fase" do SBT.

Justus sendo apresentado por Sílvio Santos como novo contratado da emissora

Quando vi a notícia da contratação de Justus pelo SBT, logo pensei em algo que, na época, não comentei com ningúem, mas eu sabia que iria acontecer, e está se revelando: a diferença entre Justus e o público do SBT. Justus cresceu em meio às classes A e B, estudou nas melhores escolas, formou-se Administrador pela Universidade Mackenzie e tem relacionamento com pessoas de alto escalão das maiores empresas do mundo. Alguém a se respeitar.

Já o SBT tem sua base no público popular, principalmente as classes C e D, maiores públicos da emissora. O SBT nasceu dos programas de auditório de Silvio Santos na TV Globo e TV Record. Silvio tem fortíssimo apelo popular. E o SBT mantém esse perfil desde sua criação em 1981, o que trouxe muitos resultados satisfatórios para o dono do Baú. Até hoje, o SBT é uma emissora popular, e qualquer tentativa de "elitizar" a emissora pode ter danos sérios. O SBT é uma emissora "do povo", como se diz no jargão popular, e não há qualquer necessidade de se mudar isso.

Juntar a formação de Justus com o público popular do SBT é uma tarefa no mínimo complicada. Isso tem ficado evidente no programa de Justus no SBT, o 1 Contra 100. O formato é ótimo, comprado da holandesa Endemol (a mesma produtora do BBB). Porém Justus tem mostrado um "choque cultural" com sua emissora. Isso ficou evidente no último programa, em que ele recebeu a humorista Lívia Andrade. As diferenças entre Lívia e Justus foram gritantes. Lívia não soube responder o nome de um dos 3 Mosqueteiros, o que deixou Justus visivelmente decepcionado.

Lívia Andrade


Justus ainda precisa aprender a não se envolver com os acontecimentos de seus programas. Ele muitas veze toma partido e o resultado nem sempre é bom, como em um determinado programa onde ele chama o participante de "medroso" sem qualquer cerimônia, e ainda faz questão de repetir.

Não dá pra duvidar da capacidade de Justus com o público. Além de gostar de programas e de TV, Justus tem uma determinação para apernder que surpreende muita getne que já está na TV a um bom tempo. Mas ele e sua emisora precisam rever melhro esse "choque", que tem trazido situações no mímino constrangedoras para ambos.

Tanto porque agora, no SBT, ele não pode "demitir" ninguém.

Polígrafo nos olhos dos outros é Audiência. Ou exploração?

Postado por Alvim Dias



Pessoal do Novas Ideias, tudo bem com vocês? Como tá tudo muito bem, obrigado!

Vários são os programas que mostram e espetacularizam a vida de pessoas simples na televisão. "Márcia", "Casos de Família", "Ratinho" (em outras épocas), são alguns exemplos.

Mas, será que é benéfico mesmo para estas pessoas exporem suas vidas na TV? Será que os "conselhos" e "opiniões alheias" recebidas por estas nestes "espetáculos" são pagamento justo para tamanha exposição? Nos Estados Unidos já houveram casos extremos. Um rapaz, após ter sua vida mostrada num programa estilo "Márcia", matou uma pessoa e foi condenado a 25 anos de prisão.

Será que não está na hora dos programas "tupiniquins" que seguem esta linha, adotarem um acompanhamento psicológico destas pessoas/famílias pós exposição? Os "tracinhos" no Ibope são muito bons, rendem muito dinheiro, mas será que valem mais do que a dignidade e a saúde psíquica destas pessoas?

Será que tem preço submeter pessoas, que em sua maioria não tiveram tanto acesso a educação, a estas experiências possivelmente tão traumáticas?

Polígrafos e "piscinas de Maizena" nos olhos dos outros? É audiência. É exploração!

Um Salve pra vocês!


Alvim Dias é publicitário, tem 26 anos e é administrador do blog Pimentas do Reino.

A menina Hippie e o Caça-Comunista

Por Silvana Ferrari Silva, com colaboração de Weslley Talaveira

Meu nome é Helena, tenho 58 anos e sou viúva. De vez em quando tenho lembranças de tempos antigos, de minha juventude. Não que me considere velha, nada disso, mas acho que relembrar os tempos antigos e comparar com o atual é algo fantástico, principalmente para quem já levou as cacetadas da vida que eu levei...

É, a vida não foi nada fácil comigo. Começando dos últimos acontecimentos para os primeiros, num momento meu "à la" Bras Cubas, perdi minhas empresas depois de ser vítima do sistema financeiro e bancário, que privilegia o capital em detrimento das pessoas. Perdi meu marido, vítima de um infarto fulminante depois de um dia normal e comum de trabalho. Meu marido sempre foi meio imprevisível, sabe? Até na hora de morrer não deu nenhum aviso para ninguém.

Mas na verdade, o que quero rememorar não é bem exatamente isso. Prefiro viajar um pouquinho no tempo e lembrar de minha adolescência e juventude, vivida intensamente em meio a tempos de Ditadura Militar. Vi a queda do presidente Goulart, a posso dos generais, o AI-5,e tudo mais quie todos sabem. Tive amigos do antigo colegial (acho que corresponde ao segundo grau) arrastados para fora da sala de aula, e nunca mais serem vistos, por causa da caça do Governo aos "comunistas".



Quando me casei em 1974, meu marido Antônio deixou a barba crescer (nunca mais tirou) só porque eu achava o Che Guevara lindo! Não é romântico isso? E só isso bastou para que, numa noite, eu e ele num barzinho da rua Nestor Pestana (eu meia hippinha) fossemos abordados por agentes do DOI - CODI (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) que, com uma indelicadeza ímpar, pediram nossos documentos e, depois de nos ofenderem chamando-me de puta moderninha e hippie filha da puta e a meu marido de barbudinho comunista, jogaram na nossa cara de volta os documentos. Eu tremia mais que gelatina ao ver que muitos eram tirados dali, aos pontapés. Que sorte a nossa! Tudo porque o sujeito que tocava violão no barzinho, que foi inclusive o primeiro a ser arrastado pra fora, cantava um bom MPB, desses dos festivais da Record.

Depois lá por volta de 1978, tinhamos uma farmácia ali na Rua Américo Brasiliense e meu marido tinha muitos contatos com pessoas dos grêmios empresariais. E fez vários convênios com eles, onde todos os funcionários teriam desconto em nossa drogaria. Fez parceria com a Monark, com a Magal, com a Caloi, com a metalurgica Niagara, etc. Os peões metalúrgicos enchiam a drogaria na hora de almoço! Com o sucesso, meu marido decidiu ampliar o convênio para cosméticos e artigos de perfumaria, e com isso ganhamos as esposas e filhas. Imagine: lotavam a farmácia, escolhendo os produtos, com a carteirinha dos maridos. Elas faziam a festa!

Pra que fomos fazer isso!

Por causa desse movimento na farmácia, alguém fez uma denúncia no DOI-CODI e, num belo dia, quando cheguei na loja com meu filho ainda bebê, os funcionários apavorados me disserem que uns agentes do órgão haviam levado meu marido pra "averiguações". Os pobres funcionários contaram que os agentes foram até educados, que queriam apenas explicações sobre essa movimentação com os peões de fábrica. Imagine, época em que o Lula já tinha sido preso, meu marido com a indefectível barba, rodeado de peão de macacão de brim azul!



Bem, eu fiquei desesperada! Meu cunhado foi até a sede do DOI-CODI na Rua Tutoia com um advogado que nem me lembro mais quem para procurar informações. Informações? Em plena ditadura militar?

Meu marido só voltou no outro dia as 7 da manhã. Alguns funcionários dormiram ali na drogaria mesmo, eu fiquei na casa da minha sogra que morava ali perto; quando ele entrou os meninos quase morreram de susto, achando que os agentes haviam voltado pra os buscar...

Meu marido foi para a casa da minha sogra onde eu estava com meus 2 pequenos, todo mundo desesperado! Meu cunhado andando de necrotério em necrotério, delegacias, etc. E tudo isso numa época em que celular nem existia, ficamos totalmente sem notícias.



Depois ele contou que só tomou uns empurrões, e perguntaram mil vezes como era "aquele negócio de reunir os peões lá na farmácia", que movimento era, se ele financiava alguma organização e etc. Depois ficou numa sala escura sentado no chão e de hora em hora vinha alguém com a mesma questão. Quando estava no carro com os "gentis" senhores, mostraram à ele várias fotos dele com os peões na padaria onde eles sempre se reuniam para beber cerveja e olhar a bunda das mulheres (sim, naquela época também se fazia isso). Os agentes haviam fotogradado meu marido por várias vezes. O que o salvou é que tínhamos um cliente muito amigo do Antônio, o Dr. Costa Primo, desembargador, e lá ele falou no nome dele. Só depois ficamos sabendo que os agentes entraram em contato com o Dr. Costa, e ele explicou aos nobres agentes que meu marido era apenas um comerciante, etc, etc. Depois o próprio Rui falou conosco e disse ao meu marido que não desse sopa na padaria com peões... Mas foi punk, e nem foi no século passado. Isso aconteceu a uns 30 anos, talvez isso, ou menos.

Tive ainda um amigo chamado Epaminondas, que foi encontrado morto amordaçado na Avenida João Dias, atrás da Biblioteca Kennedy, onde ele com seus óculos fundo de garrafa ia ler Marx, ou outro comunista qualquer... Ao lado do corpo, uns livros queimados. Nem sei como não puseram fogo no corpo, que era uma das formas favoritas deles de exterminar comunistas.

Bem, vou ficando por aqui. Muita gente nem lembra mais dessas coisas. Também, pra que, né?

Helena Alvarez




Silvana Ferrari Silva tem 53 anos e é empresária.

O Bicho

Postado por Orfeu

Descobri um bicho novo, esquisito, imaginativo. Daqueles que povoam as mentes do povo do Nordeste, e dos reis ricos e malignos do ocidente médio. Pois é, ele tava ali, eu acordei e vi ele me olhando e encarando. Tinha olhos pequenos, mãos grandes de apertar, e era peludo, com uma pele sedosa e macia. Achei-lhe formoso, e tentei pegar, ai do pulo que deu. Era arisco. Jesus, penso eu, será que come muito?

Resolvi dar biscoito ou chocolate cookie. Ora sou homem, não sei lidar com bicho. Sei? Deve beber água. Será que bebe ? Enquanto escovava os dentes, fui até a geladeira, com a escova no dente, e pingos de pasta branca caindo no carpete de minha mãe, enquanto escutava “eu te mato, meu carpete de novo”. E o bicho continuava pulando atrás de mim.

- Mãe de onde saiu esse bicho ?
- Que bicho menino ta doido ?
- Esse aqui perto de mim
- Vou te levar pro psicólogo

É, ela ainda não viu ... O quê você come? Ele só me olhava, com aqueles olhos apertados. Quando eu entreguei cereal pra ele, escutei bem baixinho:

- O quê é isso? Ruim.
- Cereal bicho, come que tu vai gostar
- Ruim.

Dei umas risadas gostosas dele, com aquela cara de piedade, e me arrumei. Perguntou p’ronde eu ia. “Ao colégio, jovens fazem isso”. Ele pulou na bolsa. Fica aí rapaz, tenho que guardar pertences. “Vou com você”. E ele foi mesmo. Percebi que ele me acompanhava pra onde eu fosse, só que só eu via isso. Comecei a pensar que estava doido. O psicólogo disse que eu estava passando por uma fase de novas descobertas, mas não me convenceu, aquele velho doido.

E quando eu sorria, ele pulava, e quando eu dormia, ele fazia cócegas no meu pé, e quando eu chorava, passava a língua na minha orelha. Perguntava constantemente, o quê é isso, o quê é isso, o quê é aquilo? E eu sempre falava, falava, e falava. Q’ele bicho me cativava, e não comia, era barato. Não fazia sujeira, e só eu via. Ele começou a crescer, crescer, e crescer. Ficou mais ou menos do tamanho de um ursinho, e andava pendurado em mim. E quando eu assistia o jogo, ele olhava quieto para a televisão, maravilhado.

De onde tu veio bicho (ainda não sabia que nome dar pra ele)? Ele sempre respondia: de você! Mas eu não entendia como um bicho daqueles saiu de mim.Não conseguia explicar o quê ele era, era uma coisa diferente de todas, mistura de São Bernardo com cobra e borboleta. E o bicho não saía de perto de mim, e eu me apegava a ele, com zelo e atenção. E ele me acompanhava pra todo lugar. E eu levava ele até pro rio. Nunca consegui mesmo arrumar um nome pra ele, nunca consegui mesmo fazer com que alguém visse ele.

Um dia vi uma mulher, muito linda, cheia de graciosidade. Na verdade, era uma garota, na verdade, era uma mulher, na verdade, era tudo. Ela sempre sentava na janela, e seus cabelos balançavam ao vento. E eu olhei pra ela bastante. O bicho me cutucava toda vez que ela via. Eu não entendia o por quê de estes cutucões nas costelas. Um dia ela passou e o cutucão veio forte, eu meio que gritei: “Ai bicho”. Ela percebeu. E começou a olhar pra mim, e sorrir. Percebi que todas as outras vezes, ela continuava a sorrir para mim. E começamos a conversar.

E conversávamos, conversávamos, conversávamos. Eu falava de mim, ela falava dela. Ela era muito linda, e eu gostava dela, gostava do que ela falava. Um dia, eu dei um beijo nela. Beijo tímido, de adolescente na puberdade. E ela me deu outro. Eu não contei do bicho pra ela. Já imaginou se ela descobre desse bicho, e me acha doido? Melhor não contar. E o bicho tinha parado de me cutucar. Um dia desses de sol gostoso, a gente esteve sentado debaixo de um pé de maçã. Então ela olhou pra mim, e perguntou:

- E esse bicho ?

Eu olhei pro bicho, e ele olhou pra mim. Sussurrei:

- Bicho, ela consegue te ver
- Eu sei que consegue. Pode me entregar pra ela agora ?
- Por quê ?
- Por quê eu sou seu, mas você tem de me entregar pra ela. Vai me ver todos os dias.

Eu olhei para ela e falei

- Quer p’roce ?
- Quero muito.

Então tudo fez sentido. O nome daquele bicho, era “Amor”.



Orfeu tem 19 anos, é estudante, "escritor, poeta, compositor, aux. administrativo, e vários outros empregos (in)formais"

Não consegue falar com as mulheres? A Microsoft ajuda!


Sim! A empresa do nerd Bill Gates lançou o Xbox 360, um programa que promete ajudar a praticar a arte de sedução. O programa coloca o jogador frente a uma bonita garota simulando uma conversa. As opções de diálogo vão surgindo na tela, indicando ao jogador quais são as palavras mais adequadas para cada ocasião.

Apesar da variedade de respostas não ser muito grande, não é por causa disso que deixará de ser uma ferramenta útil para os mais tímidos ou para aqueles que não tem lá muita sensibilidade para falar com o sexo oposto.


O namoro proibido do Brasil

Hillary Clinton, Secretária de Estado Norte-Americana

Hoje, em pronunciamento na Casa Branca, a Secretária de Estado americana Hillary Clinton advertiu aos países latino-americanos que "flertar com o Irã pode ser perigoso", numa clara alusão à visita do presidente iraniano Mahamud Ahmadinejad aoas países americanos, em especial ao nosso Brasil onde, sob protestos, foi recebido com fartos sorrisos pelo nosso presidente Lula.

Desde o primeiro ano do governo Lula o Brasil vem adotando a estratégia de se mostrar avesso à tudo que venha dos EUA. Em alguns pontos essa estratégia deu até certo, dando ao Brasil uma visibilidade no mundo até então nunca vista. Como diria Lula, "nunca antes na história desse país" o Brasil foi tão bem visto lá fora.



Mas essa visibilidade corre sério risco de ser comprometida, se o governo continuar insistindo em fazer frente a tudo que venha dos EUA de forma indiscriminada. Isso inclui essa amizade com um país perigoso e repudiado pelo resto do mundo, como o Irã, com direiro a apoio ao programa nuclear iraniano e tudo. Esse temos foi brilhantemente comentado aqui no Novas Ideias pela minha amiga Mia Palenzuela, e hoje, depois do pronunciamento da esposa do Bill, pensei o quanto o Brasil pode estar se queimando. Ao inves de se afinar com o restante do mundo, Lula prefere se aliar a malucos terroristas como Ahmadinejad, ou com Hugo Chaves.

Assim o país não sai da m***, presidente!


SIGA O BLOG NOVAS IDEIAS